O ‘Realejo da Sorte’ é uma intervenção artística que retoma a memória do antigo homem que, girando a manivela, fazia funcionar a máquina de fole, tocando aquela música característica do realejo. O passarinho adestrado trazia a sorte para os convidados através dos bilhetes da sorte.

Nessa intervenção, as características nostálgicas são mantidas, acrescidas de poesias, músicas, estórias, teatralidade e arte. Formado por cinco atores e atrizes, a intervenção artística é composta pelo homem do realejo, que carrega seu belo instrumento repleto de poesias e estórias, dois cantadores tocadores e duas moças passarinheiras declamadoras. São elas que, com suas varinhas encantadas feito passarinhos, buscam poesias ou estórias especiais para o público.

Os figurinos carregam um colorido vivo, que transportam para um tempo que ao certo não se identifica. As músicas, as estórias e poesias proporcionam momentos de encantamento, por ora, raros de vivenciar. Da criança ao idoso, difícil é não se fascinar pela beleza do realejo.